Campanha de Paisagismo das Montanhas Capixabas

CAMPANHA DE PAISAGISMO DAS MONTANHAS CAPIXABAS Confira o Projeto Campanha do Paisagismo das Montanhas Capixabas no Link:Apresentação Paisagismo   INTRODUÇÃO PEDRA AZUL E AS MONTANHAS CAPIXABAS se inspiram nos clássicos exemplos bem sucedidos de GRAMADO, CANELA, CAMPOS DO JORDÃO, PENEDO, MONTE VERDE, PETRÓPOLIS, GRAVATÁ e outros. Ocorre que, nestes destinos, A MÃO DE DEUS não […]

Compartilhe:

CAMPANHA DE PAISAGISMO DAS MONTANHAS CAPIXABAS

Confira o Projeto Campanha do Paisagismo das Montanhas Capixabas no Link:Apresentação Paisagismo

 

  1. INTRODUÇÃO

PEDRA AZUL E AS MONTANHAS CAPIXABAS se inspiram nos clássicos exemplos bem sucedidos de GRAMADO, CANELA, CAMPOS DO JORDÃO, PENEDO, MONTE VERDE, PETRÓPOLIS, GRAVATÁ e outros.

Ocorre que, nestes destinos, A MÃO DE DEUS não os contemplou com muitas BELEZAS NATURAIS.

Para compensar a menor generosidade das MÃOS DE DEUS com BELEZAS NATURAIS nestes destinos, ‘AS MÃOS DOS HOMENS’ (empreendedores locais públicos e privados) decidiram fazer a diferença e dotar estes destinos de BELEZAS ARTIFICIAIS com encantos visuais belíssimos através do PAISAGISMO DIURNO E NOTURNO.

No caso específico de PEDRA AZUL E DAS MONTANHAS CAPIXABAS, para quem AS MÃOS DE DEUS foram muito generosas em BELEZAS NATURAIS, todas as comparações evidenciam que estão faltando algumas ações das MÃOS DOS HOMENS.

A verdade desta constatação é uma percepção quase generalizada entre os atores privados e públicos das Montanhas Capixabas. E todos concordam que não é difícil.

A presente CAMPANHA DE PAISAGISMO DAS MONTANHAS CAPIXABAS tem então por objetivo mobilizar e estimular estes atores locais no sentido de dotar estradas principais, estradas secundárias, trilhas mais usadas, rotas mais usadas, acessos aos principais pontos turísticos, os acessos aos principais núcleos residenciais, os acessos aos empreendimentos turísticos e os próprios interiores dos empreendimentos turísticos com as mesmas BELEZAS ARTIFICIAIS implementadas de forma muito feliz por aqueles outros destinos de referência através das MÃOS DO HOMEM.

Tanto o PAISAGISMO TRADICIONAL, denominado mais comumente de diurno, como o PAISAGISMO NOTURNO, também denominado de LIGHT DESIGN serão estimulados.

  1. ALGUNS EXEMPLOS PÚBLICOS JÁ DIGNOS DE NOTA
  1. Como bons exemplos, citamos a entrada da Sede de Domingos Martins, na BR 262 e suas principais praças.
  1. Um outro exemplo digno de nota é a entrada de Venda Nova do Imigrante, também na BR 262.
  1. Os arbustos desenhados do trecho da BR 262 que margeia o Centro de Marechal Floriano, permanentemente cuidados pela Prefeitura, encantam os turistas.
  1. Estamos recebendo outros bons exemplos dos demais municípios.
  1. ALGUNS EXEMPLOS PRIVADOS JÁ DIGNOS DE NOTA
  1. Os cuidados de Lília Melo com a sua Pousada Rabo do Lagarto já se transformaram em notícia no Brasil e no exterior.
  1. O pequeno jardim à esquerda da entrada da Pousada Lusitânia se transformou em local obrigatório para fotografias.
  1. Os cuidados paisagísticos diurnos e noturnos do empreendimento Du Café na BR 262 km 88 são dignos dos grandes destinos. Parabéns aos proprietários.
  1. Na recente ampliação do Sítio dos Palmitos, foi construído um pequeno jardim bastante florido e seu proprietário Maurício Magnago informa que, antes das compras, as fotos dos clientes tendo o jardim ao fundo são obrigatórias.
  1. Estamos também recebendo outros bons exemplos sejam dos municípios de Domingos Martins e Venda Nova assim como dos demais municípios.
  1. DEVERES DE CASA DOS HOMENS PÚBLICOS

Dotar os acessos principais e secundários assim como os principais pontos turísticos comuns, inclusive praças, seja através do poder público ou então em regime de mutirão com a população, de bons exemplos paisagísticos entre os quais citamos:

4.1 Varreduras frequentes;

4.2 Criação de folders impressos (baratos) com informações turísticas e telefones úteis para auxílio / emergências preferencialmente entregues por rapazes e moças uniformizados(as) de forma temática;

4.3 Solicitar gentilmente aos proprietários de terras em torno das estradas principais e secundárias que mantenham suas cercas sempre pintadas de branco, mesmo que sejam utilizados os materiais mais baratos possíveis de pintura;

4.4 Solicitar gentilmente aos moradores que mantenham as paredes mais visíveis de suas casas sempre pintadas, mesmo que sejam utilizados os materiais mais baratos possíveis de pintura;

4.5 Solicitar gentilmente às novas construções que insiram, dentro do possível, telhados mais angulosos comumente utilizados em regiões europeias de clima mais frio;

4.6 Selecionar locais públicos de maior fluxo e, em alguns deles, introduzir pisos trabalhados e desenhados.

4.7 Colocação de muitas lixeiras, preferencialmente produzidas com madeira rústica;

4.8 Colocação de muitas placas de sinalização, preferencialmente produzidas com madeira rústica;

4.9 Colocação de muitas placas de esclarecimento, com relato sintético dos principais monumentos, preferencialmente produzidas com madeira rústica

4.10 Plantio máximo de flores, plantas e árvores floreiras;

4.11 Criar e garantir manutenção a acessos mesmo baratos a cachoeiras, córregos, riachos e mirantes com um mínimo de acessibilidade ao turista;

4.12 Fazer uso de elementos baratos de decoração como:

  • bancos para sentar ao relento preferencialmente com vasos floridos nas extremidades ou sob estruturas de madeira ou ferro para trepadeiras,
  • cadeiras de descanso,
  • mesas com cadeiras,
  • muros com partes externas em pedras
  • árvores sempre que possível com círculos floridos na base
  • vasos altos floridos (mas também podem ser baixos)
  • vasos brancos maiores espaçados em cima dos muros
  • taludes sempre que possível gramados escondendo o material original
  • estátuase esculturas (podem ser de materiais baratos),
  • mini igrejas (3 ou 4 m²),
  • carroças antigas com elementos sobre ela inclusive tonéis, flores e plantas,
  • tonéis antigos colocados sobre bases, com ou sem flores
  • moedores antigos de cana,
  • outros apetrechos na produção e moagem de café,
  • pequenos pórticos com folhagens e flores no alto dos pórticos
  • jardineiras externas floridas nas janelas ou então no chão externo das janelas
  • gazebos rústicos,
  • coretos rústicos,
  • rodas d’água e/ou mini chafarizes,
  • pequenos lagos ou lâminas d’água com 1 estátua ou escultura e vegetação ao redor com vasos ou outros elementos
  • carrinhos de mão ou de pedreiro ou de bebê com arranjos de flores,
  • mini jardins com bordas em pedras brancas ou pedras de rio,
  • mini jardins com bordas em tijolos ou pedras pintadas de branco,
  • acessos internos com bordas de pedras ou bordas de tijolos ou pedras pintadas de branco,
  • acessos com as laterais exibindo pedras grandes pintadas de branco ou tocos largos de madeira ou ambos materiais

4.13 Utilização máxima de iluminação noturna direta ou indireta em igrejas, canteiros, árvores, (relembrar Paris, a Cidade Luz), monumentos e outros ícones do município.

4.14 Outras ideias sugeridas pelos atores públicos locais, preferencialmente com materiais e produtos baratos próprios da região;

  1. DEVERES DE CASA DOS EMPREENDEDORES, PROPRIETÁRIOS E MORADORES

5.1 Dotar os acessos próximos do empreendimento e o interior dos próprios empreendimentos com bons exemplos paisagísticos, entre os quais citamos:

5.2 Varredura frequente do acesso próximo e do empreendimento;

5.3 Selecionar alguns locais de entrada ou de maior uso do público no empreendimento e, em alguns deles, introduzir pisos trabalhados e desenhados.

5.4 Colocação de lixeiras, preferencialmente produzidas com madeira rústica;

5.5 Colocação de placas de sinalização, preferencialmente produzidas com madeira rústica;

5.6 Plantio máximo de flores, plantas e árvores floreiras, inclusive colocação de arranjos florais nos troncos das próprias árvores;

5.7 Criar espaços externos especiais e floridos (não caros) para os hóspedes

5.8 Fazer uso de elementos baratos de decoração como:

  • bancos para sentar ao relento preferencialmente com vasos floridos nas extremidades ou sob estruturas de madeira ou ferro para trepadeiras,
  • cadeiras de descanso,
  • mesas com cadeiras,
  • árvores sempre que possível com círculos floridos na base
  • vasos altos floridos (mas podem ser também baixos)
  • vasos brancos maiores espaçados em cima dos muros
  • muros com parte externa em pedras
  • taludes sempre que possível gramados escondendo o material original
  • estátuase esculturas (podem ser de materiais baratos),
  • mini igrejas (3 ou 4 m²),
  • carroças antigas com elementos sobre ela inclusive tonéis, flores e plantas,
  • tonéis antigos colocados sobre bases, com ou sem flores
  • moedores antigos de cana,
  • outros apetrechos na produção e moagem de café,
  • pequenos pórticos com folhagens e flores no alto dos pórticos
  • jardineiras externas floridas nas janelas ou então no chão externo das janelas.
  • gazebos rústicos,
  • coretos rústicos,
  • rodas d’água e/oumini chafarizes,
  • pequenos lagos ou lâminas de água com 1 estátua ou escultura e vegetação ao redor com vasos ou outros elementos
  • carrinhos de mão ou de pedreiro ou de bebê com arranjos de flores,
  • mini jardins com bordas em pedras brancas ou pedras de rio
  • mini jardins com bordas em tijolos ou pedras pintadas de branco,
  • acessos internos com canteiros nas bordas e pedras ou tijolos pintados de branco
  • acessos com as laterais exibindo pedras grandes pintadas de branco ou tocos largos de madeira ou ambos materiais

5.9 Uso máximo de quadros em paredes – podem ser somente gravuras ou posters com molduras rústicas e baratas;

5.10 Utilização máxima de iluminação noturna direta ou indireta em canteiros, árvores (relembrar Paris), estátuas, esculturas e interior do empreendimento através de luminárias, lanternas, abat jours nas mesinhas de canto, velas e outros apetrechos.

  • Outras ideias sugeridas pelos empreendedores locais, preferencialmente com materiais e produtos baratos próprios da região.
  1. REALIZADORES E APOIADORES DESTA INICIATIVA.

Uma Realização MCC&VB com Apoio SETUR, SEBRAE, SENAC, IFES, ATPA e as Prefeituras Municipais de AFONSO CLÁUDIO, BREJETUBA, CASTELO, CONCEIÇÃO DO CASTELO, DOMINGOS MARTINS, LARANJA DA TERRA, MARECHAL FLORIANO, VARGEM ALTA E VENDA NOVA DO IMIGRANTE.

 OBRIGADO

 Andréia Rosa e Ernesto Izoton

 Em 22/06/2017

Compartilhe:

Notícias relacionadas

  • Pedra Azul recebe exposição de pinturas sobre telas até o mês de dezembro

  • Rota do Lagarto está interditada para a construção de novas pontes